CBDA, Natação, Polo Aquático, Maratonas Aquáticas, Saltos Ornamentais

Natação

20/02/2013 00:00:00

Natação feminina: Um olhar diferente


Brasília/DF – A Clínica CBDA-CORREIOS de Natação segue em Brasília até sábado, 23/02, com 24 nadadoras entre os 63 atletas (...)

Brasília/DF – A Clínica CBDA-CORREIOS de Natação segue em Brasília até sábado, 23/02, com 24 nadadoras entre os 63 atletas participantes. Em 2012, a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos deu partida em um trabalho voltado para a elevação do nível técnico da natação feminina, sob a batuta de Fernando Vanzella e supervisão geral do superintendente de natação, Ricardo de Moura. Várias atividades da Clínica no Distrito Federal são voltadas para elas (medições, exames, palestras sobre ginecologia,etc). Dirigentes, técnicos e atletas são unânimes em afirmar que olhar de forma diferenciada para as nadadoras só trará benefícios. Michelle Lenhardt, velocista de 32 anos, integrante do time que disputou os Jogos Olímpicos de Pequim 2008, disse estar com esperanças renovadas. - Estava preocupante, pois assim como eu, várias atletas mais experientes não viam novos valores surgindo. Nossas carreiras chegando ao fim e onde estavam os novos talentos para passarmos toda a experiência que acumulamos? Para ajuda-las a alcançar objetivos maiores do que os que nós atingimos? Vejo uma mudança de postura de todos, ou seja, das atletas que estão mais maduras e realmente querem atingir resultados relevantes e da própria Confederação, que entendeu a necessidade de se fazer algo com foco especial nas nadadoras. E aí vemos vários talentos aqui, como a Bia (Beatriz Travalon) que foi ao seu primeiro Mundial e já entrou na semifinal.  – disse. O Mundial em Piscina Curta de Istambul, no último mês de dezembro, foi a primeira grande competição internacional depois da implantação da nova filosofia de trabalho e já rendeu alguns bons resultados como a semifinal de Beatriz Travalon, de 19 anos, nos 50m peito (30s90). Ela disse ter mudado para melhor depois da experiência. - Nos sentimos mais seguras. Quando cheguei no Mundial vi que as adversárias não eram tão assustadoras assim e que é possível, que posso chegar lá. Um pouco antes do Open (Torneio Open, em novembro de 2012, última seletiva para Istambul), comecei um acompanhamento psicológico porque não é apenas nosso físico que trabalha na prova. O emocional pode desequilibrar bastante e esse trabalho ajuda muito – contou Beatriz. Michelle Lenhardt destacou os atributos físicos da atual geração de nadadoras como altura e força, mas também observou a influência do que afirma Beatriz. - O ciclo que terminou em Londres já mudou bastante isso, mas por muito tempo a grande meta das garotas era ir aos Mundiais, ao Pan, aos Jogos Olímpicos. Hoje todo mundo já entende que isso não basta. Temos que obter resultados e chegar na medalha. Por que não? Quem acompanha natação cansou de ver as atletas fazendo tempos incríveis antes ou depois do principal evento. Não era o planejamento que estava errado, era o lado psicológico mesmo. Acho que essa geração de atletas ainda vai trazer resultados incríveis para o país – explicou. Graciele Hermann, aos 19 anos, foi à sua primeira Olimpíada nos Jogos de Londres. O biomecânico Paulo Cesar Marinho já possui alguns estudos calcados nela, comparativos com as principais do mundo, como a medalhista olímpica sueca Therese Alshmar. Além dos ensinamentos dos diversos profissionaisas, Gracielle destacou a importância do convívio com os colegas mais experientes como o grande trunfo da Clínica. Ela se diz outra nadadora depois da passagem por Londres. - Nunca tinha participado de uma Clínica como esta. O mais legal é o convívio, a troca de experiência. Hoje, depois de Londres, minha maneira de pensar mudou.  Eu idealizava uma coisa e na verdade é tudo completamente diferente. Eu achava que sabia alguma coisa e vi que ainda tenho muito que aprender – disse. A Clínica de Natação CBDA-CORREIOS termina no sábado, 23/02. Os treinos de natação estão acontecendo na piscina do Complexo Aquático Ayrton Senna em dois turnos. Os grupos dos atletas mais experientes (azul no masculino e amarelo no feminino) vão de 8h30 às 10h e depois de 15h às 17h. Os mais novos (verde para os homens e branco para as mulheres), nadam de 10h30 às 12h30 e de 17h30 às 19h. Atletas e Técnicos em Brasília Projeto Medalha Cesar Cielo Filho, Guilherme Guido, Henrique Rodrigues, Kaio Almeida, Leonardo de Deus, Tales Cerdeira, Thiago Pereira. Índices Técnicos Alan Vitória, André Daudt, André Pereira, Angelito Cassandra, Daniel Ozerchowski, Diogo Yabe, Fernando Ernesto Santos, Felipe Xanvier Nunes, Frederico Castro, Guilherme Roth dos Santos, Henrique Barbosa, João Gomes Jr, Leonardo Alcover, Leonardo Guedes, Lucas Kanieski, Luiz Rogério Arapiraca, Marcos Ferrari de Oliveira, Nicholas Santos, Nicolas Oliveira, Raphael Rodrigues, Ricardo Oliveira, Thiago Simon, Vinícius Waked. Alessandra Marchioro, Daiane Dias, Daynara de paula, Etiene Medeiros, Fabíola Molina, Graciele Herman, Jessica Cavalheiro, Joanna Maranhão, Larissa Oliveira, Michelle Lenhardt, Natalia Diniz, Tatiana Lemos, Ana Carvalho, Daniele de Jesus. Nova geração Matheus Santana, Luiz Altamir Melo, Pedro Vieira, Pedro Cardona, Matheus Isidro, Bruno Gurian, Gustavo Louzada, Felipe Monni, Vitor Santos, Brandonn Pierry Almeida. Carolina Bilich queiroz, Bianca Avella, Aline Rodrigues, Natalia de Luccas, Bruna Primati, Paula Togeiro Gal, Julia Salem, Giovana Dorigon, Mariana Nascimento. Técnicos Alberto Silva, Donald Scott Goodrich, André Ferreira, Valéria Mass, Carlos Rogério Arapiraca, Felipe Domingues, Leonardo Tomasello, Sergio Onha Marques, Carlos Matheus, Fernando Vanzella, Frederico Guariglia, Keycy Florencio, Eduardo Candiotta, Adolfo de Lucca, Eduardo Santos, Fabio Costa.